Paulo Roberto dos Santos: simplicidade e talento especial

DSC_0022Um homem simples, humilde e de sorriso fácil conquistado aos poucos claro, mas muito ele tem a ensinar. Querido entre os colegas de trabalho, Paulo Roberto dos Santos, mais conhecido como “Paulinho Chimboré”, “Chimba”, ou somente filho do Mestre Caetano como se orgulha em dizer, é um servidor exemplar e um ser humano com um talento especial.

 

Um dos mais animados do setor de fiscalização de terrenos baldios, “Chimboré”, cujo significado é uma espécie de peixe, brinca que não teme as piadas feitas com o apelido que ganhou de um vizinho durante uma pescaria.

Prestes a se aposentar, Paulinho, que já dedicou 39 anos ao serviço público, hoje divide seu tempo entre a fiscalização na Secretaria Municipal de Meio Ambiente, e a produção artesanal de violas de cocho que são comercializadas tanto no Brasil como no Exterior e servem como a complementação de renda.

 

O quintal de casa além de um ateliê é um refúgio onde ele pretende estar nos próximos meses. “Vou sentir falta dos colegas, entrei na Prefeitura quando tinha 12 anos. Aos 18, comecei na secretaria de Meio Ambiente onde estou até hoje. Depois só vou querer sossego”, brincou.

 

E se engana quem acha que o “sossego” que ele tanto fala é ficar debaixo de sombra e água fresca. Sua vontade mesmo é voltar as atenções para suas violas, sejam elas grandes ou pequenas como as famosas Suvenirs (violas em miniatura). Segundo ele, não há uma preferida porque todas são produzidas com o mesmo carinho e dedicação.

 

Todo o trabalho de confecção para encomendas é feito em equipe formada pela própria família e uma de suas expectativas é de que seu irmão mais novo que também faz o artesanato, ou pelo menos um dos três filhos mantenha a produção das violas, dando sequencia a uma tradição iniciada por seu pai, mestre Caetano Ribeiro dos Santos.

 

A técnica de produção é a mesma de seo Caetano, e para isso usa cordas de náilon e madeiras específicas como a chimbuva, imbiruçu e mangueira. Além de fazer o instrumento ele também toca em roda de amigos nas horas vagas. “Muita gente acha que é só pegar e tocar, mas assim como outros instrumentos este produz sons diferenciados, e não é só cururu ou rasqueado”, lembrou o servidor.

 

RECONHECIMENTO

 

Paulo é casado, tem três filhos e quatro netos. Ele

começou a trabalhar na prefeitura em março de 1974 e fazia trabalhos como office boy. Suas criações já foram enviadas para países como França e Itália.

 

Confira a galeria de fotos

 

Fonte: Evelyn Ribeiro

Fotos: Michel Alvim

Comentários

0 Comentários

Deixe o seu comentário!